Lecitina: o melhor emulsificante natural e vegano

Lecitina: o melhor emulsificante natural e vegano

As lecitinas estão entre os insumos mais utilizados na indústria alimentícia e a sua história começa a séculos atrás e, desde então, ela vem tomando protagonismo quando pensamos em emulsificantes alimentícios. Além disso, a lecitina está presente na alimentação de milhares de pessoas,  estando presente em grãos como a soja e até mesmo nos ovos. 

Sua composição básica é uma mescla de fosfolipídeos, triglicerídeos e glicolipídeos, além de conter carboidratos, carotenóides e outros importantes ingredientes para a nossa alimentação. Hoje, talvez, a mais conhecida seja a lecitina de soja e uma das principais características da lecitina é a sua propriedade tensoativa, formada por uma porção hidrofóbica, de maneira simples, que não gosta de água e uma parte hidrofílica, que ama a água. 

Quando essas moléculas estão em contato com o solvente universal, elas possuem a capacidade de se aderir tanto à água quanto ao óleo, realizando uma mistura entre os dois. É claro que esta é uma explicação simplificada de um processo químico complexo. Mas em nossas casas usufruímos deste mesmo processo, quando usamos o detergente para lavar louças, o sabão para tomarmos banho e, até mesmo, na mistura que ocorre entre o etanol e a gasolina em nossos veículos. 

Mas afinal, como surgiu a lecitina?

Bom, como falamos mais acima, a sua história é datada de muitos anos. Na verdade, ela está presente em nosso cotidiano mesmo sem percebermos a sua existência. Na metade do Século XVIII, a Inglaterra e a França entraram em confronto, no que ficou conhecido como “A Guerra dos Sete Anos”. Durante uma destas inúmeras batalhas que ocorreram na guerra, a França comandada pelo Duque de Richelieu venceu a Batalha de Menorca. 

Para comemorar a sua vitória, ele pediu para que seu chefe pessoal preparasse um incrível banquete para os altos comandos das Forças Armadas do Reino da França e, como todo bom banquete francês, havia um molho para ser comido junto com as carnes servidas. Esse molho era feito à base de nata misturada com ovos, porém durante o jantar, ele acabou. Para não desagradar os convidados, o chefe do duque foi para a cozinha e resolveu improvisar, pois o creme de nata, base para o molho, havia acabado. 

LEIA TAMBÉM:  Sal de cura: O que é, qual usar, como usar e TUDO que você precisa saber.

Em um bowl ele misturou então o óleo disponível na cozinha com os ovos e outros ingredientes. Ali nascia a mahonnaise, ou maionese. Este novo creme conhecido por estar presente nas hamburguerias, acompanhar um delicioso cachorro quente ou até mesmo em saladas nada mais é do que uma emulsão da lecitina presente nos ovos com o óleo utilizado para a sua fabricação. 

Quando o chefe do duque misturou os produtos e bateu com força, ele não sabia que estava criando uma dispersão do óleo na água e emulsionando toda a mistura. A maionese tem uma parte de sua mistura que são pequenas gotas de óleo dispersas em uma fase externa formada por água, vinagre, ovos e outros ingredientes, como a famosa cebolinha e salsinha na maionese verde ou o bacon na maionese de bacon. 

A sua consistência vem da proximidade das pequenas gotas de óleo dispersas na água e por isso bater bem a mistura, até encontrar o seu ponto ideal, é tão importante. Em um improviso foi descoberto um dos emulsificantes mais utilizados por toda a indústria alimentícia. Desde então, as lecitinas são utilizadas para dar a textura ideal em cremes, recheios, emulsões e outros alimentos. 

Benefícios em consumir a lecitina

Além dos benefícios para a indústria na emulsificação de diversos tipos de alimentos, a lecitina também oferece um grande auxílio quando pensamos na saúde de seus consumidores. Quando consumida ela ajuda a eliminar a gordura dos alimentos pelas fezes, tendo desta maneira, um importante impacto na redução do LDL, conhecido popularmente como colesterol ruim. Em contrapartida ela ainda ajuda na melhora dos níveis do HDL, o colesterol bom. 

Mas seus benefícios para a saúde não param por aí. A lecitina ajuda a reduzir a chance de inúmeros problemas cardiovasculares, a hipertensão, o derrame e o infarto. Ela também possui um forte papel na prevenção do mal de Alzheimer e de diversas outras demências. Em um estudo realizado em 2014, ficou provado que o risco de danos às células do cérebro humano são reduzidos quando ocorre a ingestão de lecitina. A pesquisa ainda mostra que a suplementação com a lecitina de soja por aproximadamente 2 meses resultou em uma melhora da memória, do raciocínio e do humor em pessoas que sofrem com o mal de Alzheimer. Ela ainda pode ser utilizada para evitar a depressão e outros problemas causados pela vida moderna. 

LEIA TAMBÉM:  Você conhece a Proteína Texturizada de Soja? Veja os motivos para usá-la em seus alimentos

Já em relação às mulheres, ela ajuda a retardar os efeitos da menopausa. Isso acontece pelo fato da lecitina de soja ser rica em colina que ajuda nas mudanças hormonais naturais do período. Um estudo publicado no National Library of Medicine mostrou que com apenas 1200 miligramas de lecitina de soja por dia a disposição física, mental e a pressão arterial das voluntárias melhorou. São registradas melhoras nos sintomas da Tensão Pré-Menstrual, a TPM. Isso ocorre por conta da presença de ácido fosfatídico e da fosfatidilserina na lecitina, que ajuda a combater o cortisol liberado pelo organismo. Você pode conferir aqui os dados deste estudo. 

Além de todos estes benefícios, a lecitina de soja da Adicel não contém origem animal, o que a transforma em um produto perfeito para a produção de alimentos plant based, ou seja, aqueles que são voltados para veganos, vegetarianos e flexitarianos. Ela ainda é natural e saudável. Mas qual a sua verdadeira importância para a indústria alimentícia?

Lecitina de soja na indústria alimentícia

A lecitina de soja é um emulsificante natural, e isso já a coloca como um dos principais ingredientes para a indústria. Como falamos lá no começo, a emulsificação é o processo onde dois líquidos imiscíveis, ou seja, que naturalmente não se misturam, como o óleo e a água, são misturados. A parte externa do alimento emulsificado, como a maionese, “abriga” a parte interna, formada por gotículas ou glóbulos dispersos. 

Quando a sua empresa utiliza a lecitina de soja da Adicel na produção dos alimentos, o seu produto apresentará melhora na textura, na aparência, no sabor e no aroma. Ela ainda age como um excelente antioxidante natural, retardando a oxidação dos seus alimentos. Em outro artigo aqui do nosso blog, mostramos a importância dos antioxidantes e como fungos e bactérias podem colocar em risco a vida de seus consumidores. 

LEIA TAMBÉM:  Diferença entre Extrato de Soja e Proteína Texturizada de Soja

A lecitina de soja pode ser utilizada nos mais diversos tipos de alimentos, como produtos panificados, biscoitos, bolos, chocolates, sorvetes, margarinas, molhos, na maionese e em diversos outros. Em nosso site você encontra a lecitina de soja em diversas embalagens e, também, na sua forma líquida ou em pó, tudo pensado para melhor atender aos interesses da sua indústria. Acesse agora mesmo

 

2 comentários sobre “Lecitina: o melhor emulsificante natural e vegano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *