Lecitina de soja: como usar de forma adequada

Lecitina de soja: como usar de forma adequada

Nos dias atuais, temos disponível na indústria de alimentos diversos ingredientes facilitadores que auxiliam no melhor preparo dos mesmos, proporcionando diversos benefícios nas etapas da sua produção.

Tomando como base a necessidade de uma boa alimentação e de misturas facilitadoras, no artigo de hoje falaremos sobre a lecitina de soja, que é um poderoso aditivo alimentar que auxilia na preparação mais saudável de diversos alimentos muito usados pelas indústrias alimentícias.

A lecitina soja é conhecida como um emulsificante natural e é muito comumente utilizada na indústria de alimentos de uma forma geral, seja como um ingrediente ou mesmo como emulsificante.

Abaixo, falaremos um pouco mais sobre a lecitina de soja e seus benefícios para a preparação de alimentos e consumo dos clientes. 

O que é a lecitina de soja e para que serve?

A lecitina de soja é um aditivo vegetal natural derivado da gordura extraída do grão de soja, que possui em sua composição muitos ativos capazes de compensar a falta do famoso hormônio do estrogênio.

A lecitina é uma gordura natural que é obtida durante a produção do óleo de soja, e é rica nas substâncias de colina, inositol, fosfatídeos e ácidos graxos poli-insaturados essenciais.

Aplicações da lecitina de soja

Normalmente a lecitina de soja é utilizada em sua forma líquida para a preparação de alimentos das grandes indústrias. 

Ela também pode ser encontrada como aditivo em produtos mais específicos como em: biscoitos, chocolates, sorvetes, margarinas, bolos e tortas, cremes e outros itens de pâtisserie.

Geralmente, recomenda-se o uso da lecitina em uma porcentagem de 1 a 2% sobre o peso da farinha usada na massa. Ou seja, para cada kg de farinha, deve-se acrescentar entre 10 e 20 g de lecitina.

Por se tratar de um fosfolipídio, a lecitina tem a capacidade de se ligar a gorduras e a água. Dessa forma, esse aditivo é ideal para emulsificar, ou seja, para estabilizar outros ingredientes. Entretanto, os efeitos práticos da lecitina variam de acordo com a receita onde ela está sendo aplicada. 

Vamos conhecer algumas das principais aplicações da lecitina de soja e seus efeitos.

Pães e bolos

A aplicação desse aditivo no preparo de pães e bolos gera massas mais estáveis e homogêneas. Não é nenhuma novidade que a massa de pães e bolos geralmente contém diversos tipos distintos de gordura, por isso, manter a massa homogênea não é uma tarefa fácil.

O uso da lecitina no preparo de massas, como pães e bolos, resulta em produtos mais macios e volumosos, evitando que a massa fique ressecada, graças à capacidade de ligação presente na lecitina de soja.

Biscoitos

O mesmo acontece no preparo de biscoitos. Quando usada no preparo de biscoitos, a lecitina de soja contribui para uma melhora na elasticidade da massa, graças a homogeneidade alcançada pela união dos ingredientes.

Produtos em pó

Além dos produtos de pâtisserie, a lecitina também possui ampla aplicação na indústria alimentícia, como no preparo de produtos em pó. Esses produtos geralmente são desenvolvidos para ter uma boa solubilidade em água, e o elemento que confere essa característica é a lecitina.

Graças à sua afinidade com a água, esse aditivo natural é muito eficaz na elaboração de alimentos solúveis.

Produtos cremosos

Outra aplicação deste elemento é o preparo de alimentos cremosos, como: maionese, margarina e outros. Nesses alimentos, a função da lecitina é conferir estabilidade às moléculas de gordura, evitando que elas se quebrem diante das variações térmicas.

Chocolate

No preparo do chocolate, a lecitina tem como função melhorar a textura do alimento, além de facilitar a dispersão do açúcar. É a lecitina que torna esse alimento estável em temperaturas baixas, facilitando assim o manuseio do chocolate.

Sorvetes

Como possui uma capacidade de emulsificação extraordinária, a lecitina também é utilizada no preparo de sorvetes. A estabilidade fornecida por este ingrediente é fundamental para evitar a cristalização das partículas de água presentes no sorvete, o que torna esse alimento saboroso mesmo em temperaturas baixas.

Porque a lecitina de soja é um emulsificante?

As lecitinas são denominadas como emulsificantes alimentares. Um emulsificante é um aditivo alimentar, que pode ser derivado de uma substância química natural ou até mesmo sintética.

Sua principal função como aditivo é incorporar ar durante o batimento de determinada massa, proporcionando uma mistura muito melhor dentre todos os ingredientes daquela composição. 

As lecitinas são recomendadas para se misturar os ingredientes que não se misturam facilmente entre si, isso com menos tempo de preparo e dificuldade, como a água e o óleo. 

O seu uso na preparação de alimentos também apresenta diversos benefícios para outras etapas da produção do mesmo, proporcionando um melhor efeito e garantindo um produto final melhorado e de extrema qualidade para os consumidores finais.

O benefício final do seu uso correto é proporcionar mais cremosidade, estabilidade e rendimento na preparação do alimento pela indústria alimentar.

Benefícios da lecitina de soja

Além de ser um aditivo muito importante no preparo de alimentos, a lecitina também traz diversos benefícios para a saúde do consumidor final. 

Nesse caso, quando ele ler no seu produto que existe esse aditivo na composição do mesmo, certamente haverá mais um ponto positivo para que ele o leve para o seu consumo em casa.

A lecitina é muito conhecida popularmente por compensar o hormônio sexual do estrogênio, que acaba diminuindo do corpo das mulheres quando as mesmas entram no período da menopausa, a partir dos 45 anos de idade.

Ela traz para as mulheres a redução da instabilidade emocional causada por esse período, como também a diminuição das temidas ondas intensas de calor, de insônia e da obesidade.

Além desses excelentes benefícios contra a menopausa, o uso de lecitina também traz muitos benefícios para o uso por qualquer pessoa, de qualquer sexo ou idade, como:

  • Regular de forma efetiva a produção hormonal da pessoa;
  • Alivia de forma muito eficaz os sintomas da terrível fase da menopausa;
  • Combate com eficiência as dores de cabeça, por ser um produto rico em ômega-3 e ômega-6;
  • Combate ao colesterol alto, por estimular o metabolismo das gorduras;
  • Mantém uma boa saúde do fígado e evita o acúmulo de gorduras no órgão;
  • Ajuda a melhorar a memória do indivíduo e a estimular o cérebro, por conter o nutriente essencial da colina;
  • Auxilia no metabolismo, e em consequência positiva na perda de peso da pessoa;
  • Ajuda a melhorar a memória em caso da doença de Alzheimer;
  • Reduz o colesterol ruim, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares;
  • Para os atletas ela também é excelente produto, pois melhora o desempenho físico desses indivíduos, ajudando a diminuir a sua fadiga e o cansaço.

Um dos benefícios do uso de lecitina que poucos conhecem é em relação às mães e aos seus novos bebês, pois em algumas mães os dutos que levam o leite para os pequenos podem ficar obstruídos, gerando dor e inflamação nas mamas.

Para a prevenção desses casos, é recomendado o uso de lecitina de soja para melhorar o fluxo do leite e evitar essas obstruções nas mamães. 

Alimentos que possuem em sua composição lecitinas, ajudam na alimentação diária dessas mães e também podem ser prescritos pelo médico de forma isolada. 

Qual a principal fonte da lecitina?

As principais fontes de lecitina encontradas no mercado hoje em dia são as derivadas da soja e do girassol.

A fonte mais utilizada da lecitina é a soja (com percentual de 2% a 3% de lecitina). No mercado de alimentos, 95% da lecitina produzida para o uso comercial é derivada a partir da soja.

Outras fontes de lecitina são: óleo de palma, óleo de canola, óleo de girassol, leite e ovos.

Diferenças entre a lecitina de soja e a lecitina de girassol

Agora que já foi esclarecida a natureza da lecitina, suas aplicações e benefícios é importante conhecer as diferenças entre as duas principais fontes naturais deste aditivo.

Apesar de estar presente na estrutura de diversos vegetais, atualmente as duas fontes mais comuns de lecitina são a soja e o girassol.

A lecitina de soja é mais comum e é extraída através de um processo químico. Este processo serve para potencializar a extração e purificar a lecitina extraída. Por outro lado, a lecitina de girassol é extraída através de um processo de prensagem fria.

Por não utilizar compostos químicos, muitos compreendem que a lecitina de girassol é um aditivo mais saudável, todavia, não existem indícios que apontem qualquer prejuízo relacionado ao consumo da lecitina de soja, tendo em vista que a extração não interfere na qualidade do aditivo.

Considerações finais acerca da lecitina de soja

Como mencionado anteriormente, a lecitina traz diversos benefícios para a preparação de alimentos, e é considerada como um surfactante não tóxico, muito bem aceito pelo organismo humano. 

Como ela já faz parte das membranas celulares, ela é completamente metabolizada pelo organismo humano e é segura para consumo. 

As diversas indústrias de alimentos que a utilizam como aditivo, como a indústria de margarina, chocolates, leite em pó, biscoitos, sorvetes e massas alimentícias podem utilizá-la sem receio, isso sempre respeitando as quantidades aceitas pelos órgãos reguladores. 

Para finalizar, consideramos que a lecitina de soja é um ingrediente que deve ser visto como uma solução no desenvolvimento de novos produtos da indústria de alimentos, na criação ou modificação de processos ou mesmo para atender a nova demanda do mercado que pode chegar a qualquer momento.

Para isso, é necessário muitos estudos e adequações deste aditivo que promete trazer ainda mais benefícios para o mercado de alimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.