Conservantes alimentares alteram o sabor da comida?

Conservantes alimentares alteram o sabor da comida?

Conservantes alimentares alteram o sabor da comida?

Antes de respondermos a essa pergunta, precisamos primeiro entender o que são os chamados conservantes alimentares. De maneira simples, os conservantes alimentares são substâncias químicas, que podem ser sintéticas ou naturais e, quando adicionadas aos alimentos, têm a capacidade de aumentar o tempo de vida útil do alimento, ou seja, o tempo de prateleira. Além disso, ajuda na preservação e inibe a contaminação por fungos e bactérias que são prejudiciais à saúde. 

Outra característica importante dos conservantes alimentares reside no fato deles melhorarem os traços organolépticos dos alimentos, ou seja, não deixam que a cor, o cheiro, a textura, o sabor e a maciez do produto seja alterado. Quando essas características são alteradas, o alimento pode ficar menos atraente para o consumidor final, causando repulsa, não só a ele, como a toda a sua marca. 

Em relação aos fungos e bactérias que podem contaminar os seus alimentos, eles podem ser de dois tipos:

  • Bactérias e fungos patogênicos: são as bactérias mais perigosas para o consumo humano, pois representam um alto risco para a saúde dos seus clientes. Elas podem ser de diversos tipos e causar uma infinidade de doenças, desde uma diarreia, náuseas e vômitos, até provocar a morte de quem as consome por uma contaminação mais grave, como no caso da toxina botulínica, causada pelo Clostridium botulinum, muito comum em recheios que levam palmito, por exemplo;
  • Bactérias e fungos deteriorantes: um pouco menos perigosa para os consumidores, mas terrivelmente letal para a imagem de qualquer empresa, esses fungos e bactérias atacam diretamente a cor, o cheiro, a textura e o aspecto final de seu alimento. Essa deterioração pode causar um grave problema na imagem de qualquer empresa.
LEIA TAMBÉM:  Tartrazina: O que é? Polêmicas sobre o ingrediente

Mas combater essas duas bactérias não é tão difícil, basta utilizar os ingredientes corretos em uma proporção indicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Neste ponto, é válido ressaltar que não basta apenas utilizar o conservante correto na quantidade correta. É necessário que a empresa fornecedora deste insumo tenha todas as permissões necessárias da ANVISA para a produção, manipulação e comercialização destes produtos. 

Continue a leitura para entender mais sobre este insumo tão importante para a indústria alimentícia.

Principais conservantes alimentares e sua utilização

Os conservantes alimentares podem ser divididos em três grandes grupos: 

  • antimicrobianos – conservantes alimentares que agem inibindo ou retardando o crescimento de fungos e bactérias que podem levar risco à saúde do seu consumidor. Um bom exemplo deste conservante são os sais, muito utilizados na charcutaria;
  • antioxidantes – os antioxidantes inibem ou retardam a oxidação natural que seu alimento sofrerá ao entrar em contato com a luz, com variações de temperatura e com o ar. Um exemplo deste conservante é o ácido ascórbico e os conservantes para massas frescas e secas;
  • inibidores enzimáticos – estes conservantes atuam diretamente nas enzimas dos alimentos, impedindo que elas sofram qualquer tipo de alteração após a produção dos alimentos. Ainda existem os conservantes naturais que, na verdade, têm a ver com o processo como o alimento é conservado. São considerados naturais o congelamento, o resfriamento, a desidratação, a adição de açúcar, como no caso de compotas e a pasteurização, muito utilizada em leites.

Já os chamados conservantes sintéticos são inúmeros, como o ácido sórbico, que pode ser aplicado em carnes e peixes. O ácido benzóico e os sais derivados dele podem ser utilizados em geleias, doces e margarinas. O ácido lático e seus sais derivados, os nitritos e nitratos aplicados na charcutaria e na fabricação de embutidos e as nisinas. Estes são os principais conservantes sintéticos que podemos encontrar no mercado. 

LEIA TAMBÉM:  Sal de cura: O que é, qual usar, como usar e TUDO que você precisa saber.

Mas afinal, o conservante altera o gosto do meu alimento?

A resposta para essa pergunta é simples, os conservantes sintéticos não alteram o sabor de seu alimento. É claro que caso você adicione açúcar em uma compota, ela tende a ficar doce, o mesmo acontece com a adição de um ácido em um alimento. De maneira geral, não são notadas grandes alterações no sabor do seu alimento, e sim uma melhoria na segurança alimentar e a redução de desperdícios. 

Em um mercado tão competitivo quanto o alimentar, é necessário garantir que seus produtos tenham qualidade para os seus clientes, pois são muitas marcas e um pequeno deslize fará com que ele compre da concorrência. Em nosso site, você consegue encontrar estes e outros conservantes necessários para a produção de seus alimentos. Além disso, aqui em nosso blog, você encontrará muitos outros artigos explicando a utilização dos mais diversos tipos de conservantes alimentares.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *