Como conservar biscoito de polvilho garantindo seu sabor

Como conservar biscoito de polvilho garantindo seu sabor

Garantir estabilidade e sabor, por mais tempo, pode ser o segredo do sucesso na fabricação do biscoito de polvilho.

História do Biscoito de Polvilho

O biscoito de polvilho é uma iguaria tradicional da culinária brasileira, especialmente nas regiões Centro-Oeste e Sudeste do país. Sua origem remonta aos tempos coloniais, quando o polvilho, um tipo de fécula extraída da mandioca, era amplamente utilizado na alimentação.

A história do biscoito de polvilho está relacionada à cultura indígena brasileira. Os povos indígenas já conheciam e cultivavam a mandioca há séculos antes da chegada dos colonizadores europeus. Com a colonização, a mandioca se tornou um dos principais alimentos da população brasileira.

Durante o período colonial, o polvilho, obtido da mandioca, era utilizado para produzir diversos alimentos, como o pão de queijo e o biscoito de polvilho. No caso do biscoito de polvilho, a massa era preparada a partir do polvilho azedo, que passava por um processo de fermentação natural antes de ser transformado em biscoitos.

 

Fabricação do Biscoito de Polvilho

A fabricação tradicional do biscoito de polvilho envolve uma técnica peculiar. A massa, composta basicamente de polvilho azedo, água, sal e óleo vegetal, é misturada até adquirir uma consistência homogênea. Em seguida, é feita a modelagem dos biscoitos, geralmente em formato de pequenas rosquinhas ou palitos.

Após a modelagem, os biscoitos de polvilho são submetidos a um processo de secagem em estufas ou fornos de alta temperatura. Essa etapa é importante para que os biscoitos fiquem leves, crocantes e com a forma característica.

O biscoito de polvilho ganhou popularidade ao longo do tempo e se tornou um item presente em padarias, lanchonetes e mercearias em todo o Brasil. Ele é consumido como petisco, acompanhamento de café ou chá, e até mesmo como ingrediente de preparações culinárias, como a farofa de biscoito de polvilho.

LEIA TAMBÉM:  Farofa Pronta: como conservar por mais tempo para vender

Hoje em dia, existem diversas variações de aromas e sabores do biscoito de polvilho, incluindo versões assadas e fritas. Além disso, algumas marcas e produtores artesanais agregaram ingredientes como queijo, ervas e temperos, dando um toque diferenciado ao tradicional biscoito.

 

Como conservar o biscoito de polvilho

Os conservantes alimentares são utilizados para aumentar a vida útil dos alimentos, prevenindo o crescimento de microorganismos, como bactérias, fungos e leveduras, que podem causar deterioração e contaminação. No caso dos biscoitos de polvilho, alguns conservantes comuns podem ser utilizados, dependendo do fabricante e da receita específica.

É importante ressaltar que a inclusão de conservantes nos biscoitos de polvilho pode variar conforme a preferência do produtor e a finalidade do produto. Alguns conservantes comumente encontrados em biscoitos industrializados, em geral, podem incluir:

  • Sorbato de potássio: é um aditivo amplamente utilizado na indústria alimentícia. Ele ajuda a inibir o crescimento de fungos e leveduras, prolongando a vida útil do produto.
  • Benzoato de sódio: é um conservante que previne o crescimento de bactérias, fungos e leveduras. Ele é frequentemente utilizado em alimentos ácidos, como biscoitos e refrigerantes.
  • Ácido sórbico: é um conservante utilizado para inibir o crescimento de fungos e leveduras. É comumente encontrado em produtos de panificação e outros alimentos.

 

Porém, a Adicel Ingredientes, fabrica e comercializa um conservante pronto para a conservação de biscoitos de polvilho, o Antioxidante Bass. Ele foi desenvolvido para ser utilizado em produtos com altas concentrações de óleos e gorduras na sua composição.

O Bass ajuda a controlar a oxidação natural que os produtos gordos sofrem quando em contacto com altas e médias temperaturas e o oxigénio no ar. Ele também atua no sentido de retardar a deterioração, ranço e descoloração resultantes da oxidação.

O Antioxidante alimentício BASS pode ser utilizado na fabricação de biscoitos em geral, peles, farofas e granolas.

LEIA TAMBÉM:  Qual o conservante ideal para licores e batidas?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *